Uma pesquisa feita pela revista britânica Attitude, que tem o público alvo a comunidade LGBTQ, revelevou que 71% dos 5.000 homens gays que responderam a pesquisa, admitiram não se sentirem atraídos por homossexuais muito afeminado.

Na pesquisa, 41% das pessoas responderam que acham que os afeminados prejudicam a imagem ou a reputação dos gays, é só 29% acha que ser afeminado é um ponto positivo.

“A masculinidade está em crise. Pelo menos essa é a mensagem que parece emergir praticamente todos os dias da mídia convencional”, diz o Editor-Chefe da Attitude, Matt Cain.

No caso preconceito, 56% dos “não afeminados” dizem que nunca sofreram homofobia, contra somente 26% dos afeminados que certamente tem que lidar com isso no dia-a-dia. Os casos de homofobia é violência acontecem principalmente com gays afeminados, que estão muito mais exposto é vulneráveis à ignorância da sociedade. Isso se reflete na ficção, como na série Glee, que um personagem gay é bastante afeminado, é alvo constate de xingamento e violência homofóbica, enquanto seu namorado Blaine tem pouco momentos em que se demonstra preconceito por parte de qualquer um contra ele, isso, embora os dois sejam gays.