Revelação de 2020, The Caldo de Cana lança “Carcará de Duas Cabeças”, seu álbum de estreia; show de estreia será nesta sexta (18)

Ao lado de Tiago Máci e do DJ Jorge Choairy, o duo maranhense fará a apresentação oficial de seu primeiro disco de estúdio.

SÃO LUÍS – A música maranhense, ano após ano, ganha ainda mais destaque no cenário nacional. E em 2020, não foi diferente. De Enme a Tiago Máci, de Frimes a Brutallian, a pluralidade musical encontrada no Maranhão voou e alcançou diversos espaços. Foi também, neste último ano, que a cena teve espaço para um duo de nordestinos que fez do seu “Afrorróbaioquebeat” – uma mistura de afrobeat, forró, baião, brega, entre outros estilos – o passaporte para conquistar o Brasil.

A dupla The Caldo de Cana, composta pelos maranhenses Benedicto Lima e Felipe Costa Cruz, acaba de dar mais um grande passo: lançou, nesta terça-feira (15), nas principais plataformas de streaming, o álbum “Carcará de Duas Cabeças”, com 10 faixas inéditas. Ouça aqui: http://spoti.fi/2WiIg6M.

O disco, assim como nos singles “Você Me Usou” e “Aliciando”, lançados há alguns meses, é marcado pelo encontro entre ritmos regionais e beats eletrônicos, símbolo característico do duo, criado em 2017.

“O símbolo, do carcará de duas cabeças, foi criado pelo ilustrador Gabriel Hislla (quem fez a capa do disco) para representar a dualidade da The Caldo de Cana. A relação com o passado e o futuro e entre o regional e o mundial. São esses diálogos que são explorados nas nossas músicas”, analisa Felipe Costa Cruz sobre o título do álbum.

Nomes como Luiz Gonzaga, Odair José, Fela Kuti, Bob Dylan, entre grandes nomes da música internacional e nacional, aparecem como principais referências em um disco bastante plural: da premiada “Jerry” a contagiante abertura com a faixa-título, por exemplo.

“As dez faixas desta estreia da The Caldo de Cana representam as experimentações e as referências já bastante pulsantes entre mim e o Felipe. Tem também o bom humor, tem inspirações em músicas internacionais, como nas faixas que cantamos em inglês. O nosso objetivo nem era de atingir um mercado internacional, por exemplo, mas sim de viver essa experiência para entender como essa música fluiria em outra língua. E gostamos bastante do resultado”, comentou Bené.

Forró, baião, brega, xaxado, música caribenha, e tantas outras referências musicais podem ser ouvidas em faixas que vão de “Julle” à “Drama Queen”. As faixas foram gravadas na CASA LOCA, com produção de Adnon Soares – mesmo nome por trás da produção de discos de outros artistas maranhenses, como Casa Loca, Marcos Lamy, Gu7o, RAUCHOA, Bimbo, Soulvenir, Paulão, entre outros.

Musicanto 2020, Itaú Cultural, Conecta Música e mais

Em 2020, a The Caldo de Cana esteve entre os 200 trabalhos selecionados no segundo edital da série Arte como respiro: múltiplos editais de emergência, do Itaú Cultural. O edital, que objetivou apoiar os artistas nacionais durante o período de isolamento social, selecionou o duo do Maranhão entre mais de 12 mil trabalhos inscritos. Além da The Caldo de Cana, outros quatro artistas maranhenses foram selecionados. São eles: Banda Cena Roots, Jefferson Carvalho, Boi do Una e Dicy.

Meses depois, a banda foi selecionada para se apresentar na segunda edição do Musicanto 2020, festival realizado na cidade de Santa Rosa (RS) e que há 38 anos revela novos talentos da música brasileira.

O duo não só se apresentou no festival, como levou dois prêmios: o de “Melhor Arranjo” e o de “Melhor Música por Votação Popular”, ambas para a faixa “Jerry”, a quarta de “Carcará de Duas Cabeças”.

E além da seleção via Lei Aldir Blanc Nº 14.017 na terceira edição do edital Conexão Cultural, realizado pela Secretaria da Cultura do Estado do Maranhão (Secma), a dupla encerra 2020 selecionada no Conecta Música, realização do BR135, projeto da dupla Criolina, formada pelos músicos Alê Muniz e Luciana Simões, e também viabilizado pela Lei Aldir Blanc no Maranhão.

A The Caldo de Cana esteve entre os seis projetos musicais maranhenses que serão oportunizados com a gravação de um single, uma sessão de fotos e um registro audiovisual. As gravações musicais ocorreram no estúdio BASE – já o registro em vídeo ocorreu no Museu Audiovisual do Maranhão (MAVAM) e o ensaio fotográfico tem direção de Laila Razzo.

Show de Lançamento

Nesta sexta-feira (18), “Carcará de Duas Cabeças” será apresentado pela primeira vez ao público maranhense, com show único no Reviver Hostel (R. de Nazaré, 200, Centro Histórico), a partir das 20h – os ingressos estão disponíveis em: https://linktr.ee/TheCaldoDeCana.

Realizado pela Pítan Produções, o show contará, ainda, com outro lançamento maranhense: “Amor Delivery”, de Tiago Máci, lançado também este ano. A noite terá, além do cantor e da dupla The Caldo de Cana, a discotecagem do DJ Jorge Choairy.

O show irá fechar o ano com chave de ouro, com uma apresentação histórica que terá faixas conhecidas das duas atrações principais, com repertório autoral que vão de sucessos como “Aliciando” a “Você Me Usou”, “Samba do Fuleiro”, “Tá vendo Baby”, entre outros.

Felipe Costa Cruz

Felipe Costa Cruz ou “Felipe Mestre” é músico e compositor maranhense, atuante na cena musical do Estado do Maranhão há, pelo menos, oito anos. Teve suas primeiras músicas gravadas em 2013, pela banda de pop-rock Farol Vermelho. Entre as faixas feitas que foram gravadas pela banda, estão “Sem Noção”, destaque nas rádios locais em 2013 e “Quando Minha Vó Fugir de Casa”, single que ganhou videoclipe.

Após um hiato, “Felipe Mestre” voltou à cena musical maranhense, compondo em parceria com Tiago Máci, nos singles “Xote Dessa Moça” (2018) e “Diz Que Vai, Diz Que Vem” (2020), e também em “TQT” (2019), de Paulão (videoclipe da música saiu vencedor no Maranhão Na Tela 2019), “Cria” (2020), da banda Ventriloco e “Não Para” (2020) – esta última uma música de sua autoria, interpretada pela cantora e compositora maranhense Samile.

Além das parcerias já citadas, tem músicas compostas com Ari Sousa, Enom Silva, Geovane Chaves, Israel Costa, Jonas Magno, Lucas Ló, Rafael Camarão, Samarone, Totti Moreira, VINAA, entre outros artistas do Maranhão.

Benedicto Lima

Benedicto Lima, ou “Bené”, é radicado alcantarense e é um amante da música brasileira – em especial da nordestina –, a qual se dedica desde 2014. A partir de 2016, começou a se apresentar em bares da capital maranhense, com repertório que mistura músicas autorais com composições consagradas de artistas do Nordeste.

Em 2018, teve sua primeira música lançada “Xote Dessa Moça”, parceria com Felipe Costa Cruz e Tiago Máci, premiada no festival nacional de música Pé Vermelho. Em 2019, outra parceria foi lançada com Felipe Costa Cruz: “TQT”, dessa vez com colaboração de Paulão – a faixa é um dos singles de “Special Power”, mais recente álbum de estúdio de Paulão.

Outras parcerias também foram feitas em composições com outros músicos importantes da cena maranhense, como: Geovanne Rafael, Marcos Magah, Lucas Ló, Carlos Cuíca e Enom Silva.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: