Tutuca Viana encerra turnê nacional do novo disco com show no Youtube

O cantor, produtor e compositor Tutuca Viana encerra a turnê nacional “Avessa Manhã” com show virtual nesta sexta-feira, 19. A transmissão será realizada no canal oficial do artista no YouTube, às 21h. O link é https://www.youtube.com/watch?v=qg8gRltx0SI.

O show, inédito, teve gravação em janeiro de 2021, no Teatro João do Vale e contou com a participação especial de Leonardo Viana, e uma luxuosa banda formada por Israel Dantas (arranjos, guitarra e violão), Fofo Black (bateria), Davi Oliveira (baixo) e Renato Serra (piano). No repertório, faixas do novo disco “Avessa Manhã” e sucessos que marcaram a carreira de Tutuca Viana.

A turnê, que teve início em fevereiro do ano passado, começou em Fortaleza (CE), passou por Belém (PA), Rio de Janeiro (RJ) e São Paulo (SP). Teve participações de Gildomar Marinho, Nilson Chaves, Delcley Machado, Salomão Habib, Zé Américo, César Nascimento, Zé Renato (do grupo Boca Livre), Gabriel Grossi, Arismar do Espírito Santo, Filó Machado e Zeca Baleiro. Para o encerramento, a iniciativa foi adaptada ao formato virtual, devido a pandemia.

A turnê nacional “Avessa Manhã” de Tutuca Viana tem patrocínio do Cantinho Doce, através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, do Governo do Maranhão.

CD – Um precioso arquivo encontrado em casa numa antiga fita cassete pela produtora Renata Rodrigues, esposa do cantor e compositor Tutuca, trouxe à tona um material, até então inédito de canções que foram esquecidas durante um tempo: o casal, ao deparar-se com esse arquivo e ouvi-lo, decidiu que aquelas gravações não poderiam ficar apenas na lembrança familiar, mas que haveria de resultar num disco. E assim surgiu Avessa Manhã, o novo CD de Tutuca Viana que retorna à cena dos lançamentos musicais após 10 anos do último CD e DVD, Melodias.

Avessa Manhã conta com nove faixas, que estão disponíveis nas principais plataformas digitais, como Spotify, Deezer, Google Play, entre outras. Entre os destaques, além da faixa-título, estão: Broto, Segredo, O Caos de Cada Dia, Meu Grande Amor e Que Prazer – esta última abre o álbum e conta com a parceria do cantor capixaba Zé Renato (que fez parte da primeira formação do grupo Boca Livre, hoje, com carreira-solo consolidada).

“Luz de Neon” é uma das faixas de “Avessa Manhã” que integra também a coletânea “Vinil & Poesia”, que reúne 14 grandes expoentes da Música Popular Brasileira, produzida no Maranhão, lançada em dezembro de 2020. Está presente nas plataformas digitais, e brevemente, estará disponível em LP.

O músico, cantor e compositor maranhense Tutuca Viana é um dos idealizadores e organizadores de um dos festivais mais importantes do Maranhão, de grande referência nacional (o Lençóis Jazz & Blues Festival – Barreirinhas/ São Luís – que, este ano, teve sua décima segunda edição realizada também em formato virtual).

Tutuca Viana – Raimundo Viana Neto, mais conhecido como Tutuca Viana, nasceu no dia 19 de janeiro de 1958 e atua em São Luís como cantor, compositor e produtor cultural. Aos 4 anos de idade, iniciou suas tendências musicais participando de vários programas infantis nas emissoras de rádio Gurupi, Difusora e Timbira. Apresentou-se cantando nos programas locais ao vivo. O mais famoso foi na Rádio Difusora “O Domingo é Nosso”, comandado pelo radialista Lima Júnior.

Chegou a ter seu próprio grupo musical para acompanhá-lo. Em 1983, juntou-se a dois compositores e formaram o grupo Coisa Nossa, participando, nesse mesmo ano, do Projeto Pixinguinha, fazendo a abertura do show para o grupo carioca Céu da Boca e para o violonista Sebastião Tapajós.

Em 1985, fez show com Gerude, cantando músicas de sua autoria. Também, nesse ano, participou da gravação do disco Arrebentação da Ilha, no estúdio Transamérica (RJ), dirigido por Zé Américo Bastos, com a música Norma, em parceria com o poeta e médico Luís Lobo. No mesmo ano, participou do Festival Viva como compositor, com a música Em se resistir, cantada por Gabriel Melônio, levando o prêmio de melhor intérprete. Ainda nesse ano, apresentou-se com Marina, Vicente Barreto, Cláudio Nucci, Zé Renato e artistas maranhenses no show de aniversário da Rádio Mirante, no Estádio Nhozinho Santos, e com César Nascimento, Zizi Possi e Vitor Ramil, do Projeto Pixinguinha.

No ano seguinte, fez seu primeiro show solo Quintal Brasil, no Teatro Arthur Azevedo (TAA) e, em 1987, apresentou-se na abertura do show As teclas das gerais, de Wagner Tiso, no Espaço Cultural da RFFSA. Em 1988, participou, com Zeca Pagodinho e Asdrubal Alvim, do Projeto Pixinguinha. No ano seguinte, gravou seu primeiro disco solo Beijo de luz, no estúdio Master – Laranjeiras (RJ), com direção musical de Hilton Assunção. Em 1992, gravou, em São Luís, no estúdio R&A, o disco Quintal Brasil, com a participação especial da cantora e compositora Joyce.

O primeiro CD foi gravado em 1995, intitulado Dera, produzido pelo próprio Tutuca, com direção de Marcelo Carvalho. Em 1998, formou dupla com Djalma Chaves e, juntos, fizeram o show Pedras no asfalto, no Museu da Imagem e do Som (SP). Depois, se apresentaram no Kva e no Blen Blen, casas noturnas de grande fama em São Paulo. No ano seguinte, voltaram a São Paulo para apresentações no SESC Vila Mariana e no Bar Som Brasil. Em 1999, juntamente com Djalma Chaves e Augusto Bastos, participaram do Festival de Música Latina em Roma (Itália), a convite da “Comunidad di Roma”. Também se apresentaram em Paris (França), onde gravaram um clipe com a música O canto da ema, de João do Vale. Na Espanha, o show foi apresentado na cidade de Alicante.

No ano de 2000, gravou, com seu amigo e parceiro, Djalma Chaves, o CD Pedras no asfalto, lançado, em julho do mesmo ano, em Genebra, onde participaram do programa de rádio FM Number One, e na casa de Jazz Duke´s, em Montreux (Suíça).

Participou de todos os festivais “Canta Nordeste”, promovidos pela Rede Globo, com a produção local da TV Mirante, tendo sido classificado em todas as eliminatórias. Teve a música Morro do Borel escolhida entre as 1.700 inscritas no projeto Itaú Cultural em todo o Brasil, classificando-se entre as 30 finalistas no ano de 2000 – em 1988, foi finalista (3° lugar) do festival promovido pela SECMA, com a música Avessa manhã, interpretada por J. Nogueira.

Ganhou, ainda em 2000, o prêmio Universidade FM de melhor arranjo, promovido pela Rádio Universidade, com a música O canto da ema, do CD Pedras no asfalto. Em 2004, gravou dois CDs (Folia no Carnaval e Folia no São João), com ritmos que vão do xote ao baião, e regravou João do Vale e Jackson do Pandeiro. Foi o idealizador do grupo Som do Mará, apresentado aos domingos de 2004 a 2008, na Concha Acústica da Lagoa da Jansen, em São Luís.

Em fevereiro de 2008, gravou seu 1º DVD ao vivo no TAA com participações especiais de Alcione, Fauzy Beydoun, Papete, Mariana Viana, Djalma Chaves, Lobo da Siribeira e Grupo Som do Mará. Em 2009, idealiza o Lençóis Jazz e Blues Festival em Barreirinhas. A partir de 2011, leva o Festival para São Luís – em 2014, o festival ganhou sua primeira edição em São José de Ribamar.

A discografia de Tutuca Viana, entre a década de 90 até os dias atuais, é composta por vários lançamentos. Entre eles, estão: Beijo de luz, de 1990; Quintal Brasil, de 1992; Dera (1995); Pedras no asfalto – Tutuca e Djalma, de 2000; Folia de carnaval e Folia de São João, ambos de 2004; DVD Melodias, de 2008; e o disco Avessa Manhã, de 2017; além das participações em coletâneas, como em Arrebentação da Ilha, de 1985 (Mirante FM), em Segunda de Arte, de 1992 (Prefeitura de São Luís), no disco do I Festival de Música Carnavalesca, de 2000 (FM Mirante) e em Som do Mará, de 2006.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: