PL que garante atendimento psicológico para grávidas em São Luís aguarda parecer de comissão

Anúncios

A garantia de atendimento psicológico ou psiquiátrico às gestantes durante todo período pré-natal nas unidades básicas de saúde pode se tornar obrigatória na capital maranhense, por meio do Projeto de Lei nº 056/2021, de autoria da do vereador Ribeiro Neto (PMN).

A iniciativa, que aguarda parecer da Comissão de Assistência Social, Direitos Humanos, Mulher, Criança e Adolescente, Juventude e Idoso (CDH) para seguir em tramitação na Câmara Municipal de São Luís (CMSL), tem o objetivo de zelar pela saúde e proteção da vida da mulher ludovicense.

Anúncios

Atendimento

O projeto especifica como deve ser feito o atendimento psicológico ou psiquiátrico para as gestantes nas unidades de saúde componentes do Sistema Único de saúde – SUS em São Luís. O texto diz, em seu artigo 1º, que as unidades devem realizar serviços de acompanhamento gestacional oferecendo atendimento psicológico ou psiquiátrico às gestantes durante todo período pré-natal.

O parágrafo único do mesmo dispositivo, estabelece que o atendimento deverá ser prolongado, após o parto e pelo período que se fizer necessário, caso haja indicação clínica para a prorrogação, devidamente atestada em laudo elaborado pelo psicólogo responsável.

Estudos

Estudo mais recente divulgado em 2018, pela universidade King’s College London, da Inglaterra, apontou que apesar de gratificante, a gestação não é um período nada fácil. E para 25% das mulheres, ela pode ser ainda mais delicada, acompanhada de depressão e outros transtornos que afetam a mente.

Os pesquisadores avaliaram 545 mulheres acima dos 16 anos por meio de testes usados no diagnóstico de distúrbios psicológicos ou psiquiátricos. Eles descobriram primeiro uma prevalência considerável de ansiedade e depressão, que atingem 15% e 11% das grávidas, respectivamente.

Além disso, apareceram casos de transtornos alimentares, como anorexia e bulimia, em 2% das futuras mamães, e outras doenças menos comuns, incluindo os transtornos obsessivo-compulsivo, do estresse pós-traumático e até mesmo o bipolar.

O estudo destaca que as mulheres não desenvolveram as doenças por conta da gravidez, mas uma coisa está bem ligada à outra, uma vez que problemas do tipo podem interferir na saúde da mãe e do filho até a adolescência.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: