Prefeitura de São Luís ignora pedido de vacinação de quilombola desde março

A Prefeitura de São Luís está desde março ignorando os pedidos de dar prioridade de vacinação aos moradores do Quilombo Urbano localizado na Liberdade. O território do Quilombo da Liberdade (composto pelos bairros da Fé em Deus, Camboa, Sítio do Meio, Diamante e Liberdade) é localizado em São Luís do Maranhão.

Anúncios

O direito de prioridade de vacinação dos povos quilombolas foi garantido pelo STF no dia 24 de fevereiro de 2021 em todo o território do Brasil. Grupos que compõe o Quilombo da Liberdade estão desde março lutando para garantir esse direito que até o momento foi negado. Existem 14.000 famílias em situação de extrema e periclitante vulnerabilidade social ao ponto de passar situação de fome.

Sem sucesso com os pedidos, em abril, conforme mostra um documento, o Ministério Público Federal solicitou a Prefeitura de São Luís a prioridade da vacinação dos moradores do Quilombo da Liberdade. Foram 04 (cinco) e-mails enviados a Prefeitura, todos ignorados pela Prefeitura de São Luís, pela Fundação Municipal de Patrimônio Histórico (FUMPH), pela Secretária Municipal da Criança e Assistência Social (SEMCAS) e pela Secretária Municipal da Saúde (SEMUS); e 01 (um) e-mail também foi enviado para a Secretária Adjunta de Estado de Saúde Responsável pela Vacinação.

Anúncios

Somente no dia 26 de maio, a Prefeitura de São Luís decidiu realizar uma reunião, tendo como representante a Coordenadora de Imunização da SEMUS, Charlene Alves Luso. Mesmo com a reunião pautando a importância da vacinação do povo quilombola, a Prefeitura de São Luís não realizou uma campanha para imunizar contra o covid-19 da região.

Ainda nesse mês de julho, o Ministério Público do Maranhão requereu solicitação ao Município de São Luís e ao Governo do Estado, para que seja formada, em caráter de urgência, uma força-tarefa de vacinação contra a Covid-19 a fim de cumprir o Programa Nacional de Imunizações (PNI) no bairro da Liberdade e entorno, área reconhecida como comunidade remanescente de quilombo.

O Prefeito de São Luís, Eduardo Braide (Podemos), vive fazendo publicidade usando a vacinação para se autopromover nacionalmente. Porém, a situação está bem diferente na periférica de São Luís. Com poucos pontos de vacinação e a maioria localizado na região do Renascença, família mais afastada dessas áreas nobres tem dificuldade para se vacinar.

Localidades como o Quilombo Urbano da Liberdade estão sendo ignorado pela Prefeitura de São Luís, enquanto áreas nobres de São Luís possui, como Ponta do Farol e Calhau, possui uma taxa superior a 70% de pessoas vacinadas, conforme aponta o Sistema de Informações do Plano Nacional de Imunização, do Ministério da Saúde. 

Anúncios

Muitas famílias não tem condições de pagar uma mobilidade para ir aos locais de vacinação, principalmente para aquelas famílias que além de ter pouca renda, possui idosos que necessitam de ajuda para se mobilizar. Os grupos quilombolas pediram um número mínimo para vacinação dos moradores do local e mesmo assim foi negado. Um descaso com um povo que tem que lutar constantemente para sobreviver.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: