Seminário em homenagem a Paulo Freire debate educação popular

Nesta quinta-feira (30), a Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop), em parceria com a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) e o Movimento Sem Terra (MST), realizará o Seminário em Comemoração ao Centenário de Paulo Freire, às 19h, no formato online, com transmissão no canal Direitos Humanos Maranhão, no Youtube (https://www.youtube.com/c/DireitosHumanosMaranhão).

Anúncios

A atividade encerra o mês de setembro, no qual foram realizadas diversas homenagens pela importante contribuição de Paulo Freire à educação. A abertura do evento será realizada com apresentação musical do artista maranhense Joãozinho Ribeiro, seguido da apresentação do videoclipe “Vou aprender a ler” e de solenidade com a participação dos secretários de Estado de Direitos Humanos e Participação Popular, Chico Gonçalves, e o de Educação, Felipe Camarão. 

O primeiro diálogo da noite, com o tema “Legado e atualidade do pensamento de Paulo Freire no Brasil, caminho da educação popular hoje”, contará com a participação especial de Nita Freire, pedagoga, doutora em Educação pela PUC-SP e viúva de Paulo Freire; e de Carlos Rodrigues Brandão, doutor em ciências sociais e professor da Pós-Graduação em Antropologia da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), de São Paulo, referência em estudos e pesquisas na área de educação popular e sobre Paulo Freire.

Em seguida será realizado o diálogo “A Educação Popular na América Latina, experiências e métodos convergentes”, com a participação da convidada Paula França, coordenadora da Brigada Internacionalista do MST Samora Machel, na Zâmbia/África. Após as falas, será aberto um momento para perguntas do público e comentários dos participantes.

Anúncios

“Sem dúvida será um momento muito rico trazendo para o debate o legado deixado por Paulo Freire e sobre a educação popular. Uma oportunidade única de ouvir estudiosos e pesquisadores sobre esses temas, que tem muito a contribuir com o modo como pensamos educação no Brasil e, principalmente, no Maranhão. Contamos com a ampla participação dos maranhenses, em especial daqueles que atuam na área da educação, que conhecem os desafios e as alegrias dessa área tão importante para o desenvolvimento do país e dos seus cidadãos”, afirmou o secretário Chico Gonçalves.

O Seminário em Comemoração ao Centenário de Paulo Freire é aberto ao público e a participação é gratuita. Para participar basta acessar o canal Direitos Humanos Maranhão, no link https://www.youtube.com/c/DireitosHumanosMaranhão

Sobre Paulo Freire

No dia 19 de setembro, Paulo Freire faria 100 anos se estivesse vivo. Intitulado Patrono da Educação Brasileira, desenvolveu uma metodologia de alfabetização que ultrapassava a ideia de letramento, a partir da visão de que para ler os livros, era imprescindível ler o mundo e que para educar de verdade era necessário possibilitar uma educação crítica e, sobretudo, libertadora.

A pedagogia freiriana inspirou metodologias de ensino no mundo todo e, no Maranhão, foi a matriz teórica do programa Sim, Eu Posso!, executado pelo Governo do Maranhão em parceria com Movimento Sem Terra e que alfabetizou mais de 20 mil jovens, adultos e idosos em municípios de menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do estado.

O programa revolucionou a vida de quem finalmente aprendeu a ler, escrever e a sonhar com novas possibilidades de vida e, por isso, vem revolucionando também todo o Maranhão. 

Anúncios

Programação

19h – Abertura dos trabalhos: Apresentação musical, com Joãozinho Ribeiro; mística com exibição do videoclipe “Vou aprender a ler”.

19h20 –  Saudação dos secretários Chico Gonçalves (Direitos Humanos e Participação Popular) e Felipe Camarão (Educação).

19h30 – Legado e atualidade do pensamento de Paulo Freire no Brasil, caminhos da educação popular hoje, com Carlos Rodrigues Brandão (doutor em Ciências Sociais, Professor da Pós-Graduação em Antropologia da UNICAMP e professor colaborador da Universidade Federal de Uberlândia, referência em estudos e pesquisas sobre Educação Popular e sobre Paulo Freire) e Nita Freire (pedagoga e doutora em Educação pela PUC-SP, viúva de Paulo Freire).

19h50 –  A Educação Popular na América Latina, experiências e métodos convergentes, com a convidada Paula França (coordenadora da Brigada Internacionalista do MST Samora Machel, na Zâmbia/África).

20h10 – Perguntas e comentários de participantes (chat do YouTube).

20h20 – Considerações finais de Carlos Brandão.

20h35 – Considerações finais de Paula França.

20h38 – Encerramento musical com Joãozinho Ribeiro.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: