Idec lança estudo que analisa mais de 100 publicações sobre sistemas alimentares

Revisão de literatura destaca conexão entre fome, obesidade e mudanças climáticas com objetivo de fornecer referências científicas para promover uma transição de modelos 

Anúncios

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) lançou hoje “As Cinco Dimensões dos Sistemas Alimentares no Brasil: uma revisão de literatura”. A publicação analisa 113 estudos científicos que se debruçam sobre a atual lógica de produção e consumo de alimentos para mapear como operam os modelos de governança, negócios e de abastecimento e demanda, além de suas implicações para a ecologia e a saúde pública.

A revisão de literatura se apoia sobre essas cinco dimensões dos sistemas alimentares para abordar, de maneira contundente, a relação das pandemias de obesidade e desnutrição com as mudanças climáticas – e como os sistemas alimentares corporativos são causa central dessas crises globais.

“Nosso objetivo é fornecer aos gestores públicos uma rica fonte de embasamentos científicos para criação de uma agenda integrada que promova sistemas alimentares mais saudáveis e sustentáveis no Brasil”, explica Janine Coutinho, coordenadora do Programa de Alimentação Saudável e Sustentável do Idec.

Anúncios

As cinco dimensões dos sistemas alimentares no Brasil

A publicação apresenta resumo executivo, metodologia e referencial teórico-conceitual, além dos resultados das análises, estruturados em cinco dimensões: negócios, abastecimento e demanda, ecologia, saúde e governança.

  • Negócios: a comoditização dos alimentos para exportação enfraquece a atenção às necessidades sociais do mercado interno
  • Abastecimento e demanda: a desigualdade na distribuição de alimentos e preços que não incentivam uma alimentação saudável estruturam os sistemas alimentares
  • Ecologia: a produção em larga escala, ligada ao uso intensivo de agrotóxicos, monocultura e pecuária extensiva, colabora diretamente para as mudanças climáticas
  • Saúde: a ciência comprova como os sistemas alimentares atuais estão adoecendo a população
  • Governança: recentes retrocessos nas políticas públicas brasileiras voltadas à segurança alimentar minam a transição para sistemas alimentares saudáveis

Segundo Potira Preiss, pesquisadora e autora do estudo, cada dimensão apresenta um escopo temático, o contexto dos desafios a serem superados e as recomendações de literatura. “Apesar dos sistemas alimentares serem um tema recente na literatura internacional, o estudo mostra que há uma produção científica brasileira robusta sobre o assunto, que deve ser valorizada e melhor acionada na formação de políticas públicas”, pontua ela.

Anúncios

Também são apresentados 100 marcos político-normativos legais em vigor no país que contribuem à transição para um sistema alimentar saudável e sustentável.

Acesse aqui o relatório, que conta com resumo executivo apresentando os principais resultados.

Visite a página de Sistemas Alimentares do site Alimentando Políticas, uma iniciativa do Idec.

Leia mais notícias em ocuboblog.com e nos sigam nas redes sociais: Facebook, Twitter, Telegram, Instagram e Tiktok. Colabore com mais informações nos enviando através do telefone e whatsapp/telegram (98) 98506-2064 ou pelo e-mail ocuboblog@gmail.com

Ou mande qualquer quantia pelo PIX para ocuboblog@gmail.com

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: