Famílias de comunidade rural de Balsas denunciam ameaças de advogados de empresário

A decisão do Tribunal de Justiça do Maranhão, divulgada nessa segunda (7), suspendeu o direito das oito famílias de permanecerem na comunidade rural Bom Acerto.

Anúncios

Famílias da comunidade rural Bom Acerto, em Balsas, a 810 km de São Luís, denunciam que passaram a sofrer ameaças após uma liminar do Tribunal de Justiça do Maranhão decidir a favor do empresário que afirma ser o proprietário da área onde vivem.

A decisão judicial, divulgada nessa segunda (7), suspendeu o direito das oito famílias de permanecerem na comunidade. Em um vídeo gravado pelos moradores, um homem, que se apresentou como o advogado do empresário que afirma ser o dono da área, teria tirado fotos dos barracos e feito ameaças.

Os trabalhadores rurais também denunciam que a área próxima ao acampamento está sendo desmatada e que temem serem expulsos por homens armados a qualquer momento.

Anúncios

“Se demolirem os barracos nós vamos ficar na mata mesmo, não tem pra onde ir mais não, porque agora nós não temos condições de fazer casas”, afirma uma moradora da comunidade.

A defesa dos trabalhadores rurais alega que o Ministério Público do Maranhão ainda tem 15 dias para emitir um parecer sobre a liminar concedida pelo Tribunal de Justiça. Eles também ressaltam que qualquer ação de despejo precisa ser feita com a presença de um oficial de Justiça e a segurança da Polícia Militar.

“É uma grave violação dos direitos humanos. Essas famílias, ao longo dos últimos meses, solicitaram apoio para reconstrução de suas vidas, que foram aniquiladas por conta do primeiro cumprimento de uma decisão judicial em agosto de 2020, em plena pandemia. E agora, mais uma vez, quando há um aumento significativo nos casos de contaminação da Covid, uma nova determinação judicial determina o desalojamento compulsório desses moradores”, pontua o advogado Diego Cabral.

Anúncios

A luta dos moradores pela área de 600 hectares começou em agosto de 2020, quando casas e plantações foram destruídas por um trator, durante o cumprimento de um mandato de reintegração de posse expedido pela Justiça de Balsas.

Os moradores recorreram e ganharam no Tribunal de Justiça o direito de voltarem para a área em maio de 2021. No entanto, eles ainda alegam que sofrem ameaças constantes. O Tribunal de Justiça disse que aguarda o prazo de 15 dias para se manifestar sobre a questão.

Por G1

Leia mais notícias em ocuboblog.com e nos sigam nas redes sociais: Facebook, Twitter, Telegram, Instagram e Tiktok. Colabore com mais informações nos enviando através do telefone e whatsapp/telegram (98) 98506-2064 ou pelo e-mail ocuboblog@gmail.com

Ou mande qualquer quantia pelo PIX para ocuboblog@gmail.com

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: