‘Green new deal’ brasileiro prevê redução de emissão de carbono pela metade com transporte público e desmate zero

Em estudo publicado na sexta (18) na revista “GV Executivo”, pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) propõem um plano de recuperação econômica verde para o Brasil, com foco na transição para uma economia de baixo carbono. Chamado de Green New Deal brasileiro, o projeto tem capacidade de diminuir emissões anuais de gases de efeitos estufa do país pela metade e, ao mesmo tempo, gerar empregos mais qualificados com melhor remuneração.

Anúncios

O plano prevê a sinergia entre as agendas econômica, social e ambiental. Nele estão previstas 30 ações, desenhadas e adaptadas à realidade brasileira a partir do levantamento das proposições do Green New Deal em outros países. A proposta prevê sua execução até o ano de 2030, com custo total de cerca de 509 bilhões de reais, ou 6,8% do PIB brasileiro em 2019. Metas como a universalização dos serviços de saneamento, a expansão do alcance do transporte público e o desmatamento zero ganham destaque no projeto.

No Green New Deal, o Estado assume papel ativo como regulador, investidor e protetor social. O setor público, segundo os autores, deve incentivar inovações em setores e tecnologias limpos, contrariando a tendência atual de subsídios à indústria de petróleo e gás e a práticas agrícolas convencionais, que incluem o uso de agrotóxicos. Desta forma, medidas como o fim dos incentivos para atividades que degradam o ambiente e a tributação de lucros e grandes fortunas podem ser fontes potenciais de financiamento para a transição proposta.

Anúncios

A simulação de execução do GND-BR aponta um aumento na capacidade de arrecadação do Estado, o que pode beneficiar a geração de empregos, que podem aumentar em 7%. No setor das contribuições sociais, a arrecadação passaria dos atuais R$ 4,5 bilhões para R$ 53,8 bilhões anuais, valor que compensaria a diminuição da arrecadação tributária em 9,1% provocada pela adesão ao plano. Assim, as consequências do GND-BR seriam vistas não somente no clima global, mas também na qualidade de vida da população.

“A transição para uma economia verde busca ampliar a capacidade produtiva em setores de competitividade autêntica, intensivos em inovação e qualificação profissional, através de iniciativas que geram emprego e renda, ao mesmo tempo que protegem a biodiversidade e serviços ecossistêmicos. Mas isso requer políticas públicas ativas, com um marco regulatório que favoreça o comportamento proativo das empresas em direção à sustentabilidade e inclusão social”, afirma Carlos Eduardo Young, um dos autores do estudo.

Leia mais notícias em ocuboblog.com e nos sigam nas redes sociais: Facebook, Twitter, Telegram, Instagram e Tiktok. Colabore com mais informações nos enviando através do telefone e whatsapp/telegram (98) 98506-2064 ou pelo e-mail ocuboblog@gmail.com

Ou mande qualquer quantia pelo PIX para ocuboblog@gmail.com

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: