No Dia Nacional do Diabetes, INC alerta para risco de doença cardíaca em pessoas com diabetes mellitus

Doença afeta 15,7 milhões de brasileiros e número de casos cresceu nas últimas décadas.

Anúncios

No Dia Nacional do Diabetes, comemorado em 26 de junho, o Instituto Nacional de Cardiologia (INC), referência para tratamento de alta complexidade de doenças cardiovasculares no SUS, alerta para os riscos de doenças cardíacas em diabéticos.

De acordo com o cardiologista Marcelo Assad, Coordenador do Serviço de Lípides e Diabetes do INC, o diabetes, principalmente do tipo 2, representa um fator de risco importante para doenças cardiovasculares. A associação de diabetes, hipertensão e dislipidemia (colesterol/triglicerídeos elevados) é muito comum – e bastante perigosa.

“Os dois tipos de diabetes representam um fator de risco, mas o tipo 2, em especial, está associado às chamadas alterações macrovasculares, como infarto e AVC,” afirma o Dr. Marcelo Assad.

Anúncios

A doença, que já atinge 15,7 milhões de brasileiros, é uma síndrome metabólica que se caracteriza pelas altas taxas de açúcar no sangue (hiperglicemia), causada por uma produção insuficiente de insulina ou pela incapacidade do organismo de utilizar a insulina produzida de forma eficiente. A insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas e é responsável pela metabolização da glicose; sem ela, o corpo não consegue metabolizar a glicose corretamente.

O diabetes tipo 1 é causado por um problema imunológico que faz o corpo combater as células produtoras de insulina. É mais raro e aparece geralmente na infância.

Já no tipo 2, mais prevalente, o corpo desenvolve resistência à insulina e deficiência na secreção de insulina. É mais comum em pessoas com mais de 40 anos, especialmente naquelas acima do peso, sedentárias e sem hábitos saudáveis de alimentação.

Além disso, também há o diabetes gestacional, quando há uma diminuição da tolerância à glicose diagnosticada pela primeira vez na gestação, que pode ou não persistir após o parto.

Anúncios

Sintomas e diagnóstico

Segundo o dr. Marcelo, os sintomas clássicos de diabetes são aumento da sede e do volume urinário, além de perda não explicada de peso. Ele também alerta que um histórico de diabetes na família representa um fator de risco para desenvolver a doença.

O diagnóstico de diabetes é feito por meio da medição da glicemia em jejum (um índice maior ou igual a 126 mg/dl em duas ocasiões caracteriza um paciente diabético) ou após a ingestão de uma quantidade específica de glicose (colhendo-se a glicemia 2 horas depois, com valor maior ou igual a 200 mg/dl).

Mesmo os pacientes que não ultrapassam esse limiar, mas estão próximos a ele – os chamados pré-diabéticos – já têm chances maiores de apresentar problemas graves de saúde como infarto do miocárdio e acidente vascular cerebral, apesar de não apresentarem os sintomas clássicos de diabetes.

Anúncios

Controle de diabetes e tratamento

“O diabético diagnosticado precisa ter um controle regular da sua glicose, seja por aferições sanguíneas regulares, teste de ponta de dedo ou monitorizações contínuas com dispositivos cutâneos com leituras imediatas”, afirma o dr. Marcelo.

Segundo ele, mudanças de estilo de vida são o primeiro passo para o controle da doença. Para os que apresentam sobrepeso ou obesidade, uma perda de 5 a 10% do peso corporal já é importante. Uma dieta balanceada e exercícios físicos regulares também são essenciais.

“Evitar o sedentarismo e aumentar a atividade física programada (como caminhada, corrida, natação) ou espontânea (por exemplo, subir escadas, não utilizar o carro para percorrer pequenas distâncias) é fundamental”, afirma o dr. Marcelo. “É necessário reduzir a ingestão calórica, o consumo de carnes gordas e embutidos, aumentar o consumo de grãos integrais, leguminosas, hortaliças e limitar a ingestão de bebidas e comidas açucaradas.”

Anúncios

Pacientes com diabetes tipo 1 precisam utilizar as injeções diárias de insulina, mas pacientes com o tipo 2 têm outras opções medicamentosas menos invasivas. O medicamento escolhido vai depender das comorbidades do paciente, que também precisam ser tratadas.

“Pacientes diabéticos precisam tratar rigorosamente os outros fatores de risco importantes, como hipertensão arterial e dislipidemia, e também parar de fumar, se forem fumantes,” afirma o dr. Marcelo.

Sobre o INC

Anúncios

Referência do Ministério da Saúde no tratamento de alta complexidade em doenças cardíacas, o INC atua há mais de 40 anos com destaque em procedimentos hemodinâmicos e cirurgias cardíacas de alta complexidade, incluindo as neonatais.

Trata-se de um dos três institutos do Ministério da Saúde no Rio de Janeiro. Os demais são o Inca e Into.

O INC é atualmente o único hospital público que realiza transplantes cardíacos em adultos e crianças no Estado do Rio de Janeiro e é o segundo centro que mais realiza cirurgias de cardiopatias congênitas no Brasil. Desde 2021, tornou-se o único hospital fluminense a realizar transplantes de pulmão.

Formador de profissionais para a rede de saúde, o INC possui Programas de Residência Médica, Enfermagem e Farmácia de excelência, além de cursos de pós-graduação que abrangem diversas áreas de atuação cardiovascular, como Hemodinâmica, Ecocardiografia e Perfusão em Cirurgia Cardíaca. Conta ainda com mestrado multiprofissional em Ciências Cardiovasculares e Avaliação de Tecnologia em Saúde.

Anúncios

No campo da pesquisa, foi escolhido pelo Ministério da Saúde como coordenador do maior estudo multicêntrico já realizado no país na área de terapias celulares em cardiopatas e desenvolve pesquisas clínicas em diversas áreas de diagnóstico e tratamento em cardiologia.

Leia mais notícias em ocuboblog.com e nos sigam nas redes sociais: Facebook, Twitter, Telegram, Instagram e Tiktok. Colabore com mais informações nos enviando através do telefone e whatsapp/telegram (98) 98506-2064 ou pelo e-mail ocuboblog@gmail.com

Ou mande qualquer quantia pelo PIX para ocuboblog@gmail.com

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: