Arquivo da tag: Cura gay

Imperatriz | UFMA realiza ‘Cine Debate: O que é LGBT em Imperatriz?’

A Universidade Federal do Maranhão (UFMA), de Imperatriz, realiza o “CineDebate: o que é ser LGBT em Imperatriz?”, no dia 18 de junho, às 19h, no Auditório da UFMA de Imperatriz, no Centro. O evento vale cinco horas curriculares.

Há apenas 28 anos que a Organização Mundial da Saúde, (OMS) retirou a homossexualidade da Classificação Internacional de Doenças (CID). Sabemos, porém, que isso não foi suficiente para impedir que um juiz proferisse decisão permitindo tratamento de “cura gay” no Brasil ano passado, nem impedir as inúmeras violências que LGBT’s sofrem diariamente por causa de sua orientação sexual e de identidade de gênero. Em tempos de uma onda conservadora e fascista, que nega nossos direitos e não nos quer vivas, no país que mais mata travestis/transsexuais no mundo, é tempo de debater o que é ser LGBT em Imperatriz.


Leia mais Notícias em ocuboblog.com e nos sigam nas redes sociais: Facebook, Twitter e Instagram. Colabore com mais informações nos enviando através do telefone e whatsapp (98) 98506-2064

Para O Cubo crescer, vamos precisar da sua ajuda. Seja patrão do blog dando um pequeno patrocínio.

https://www.catarse.me/ocubo?ref=project_link


Digite seu e-mail para assinar as notificações deste site

Junte-se a 1.389 outros assinantes

Celebridades pedem o fim da liminar de ‘Cura Gay’

Através da Rede Social Twitter, celebridades como Deborah Secco, Pablo Vittar, Maísa Silva e Lívia Andrade, usaram a TAG #CuraGay, #HomofobiaEDoenca e #TrateSeuPreconceito em protesto a liminar do Juiz Waldemar Cláudio de Carvalho que concedeu uma brecha para que psicólogos ofereçam reversão sexual.

A cantora de Funk Valesca Popozuda usando a TAG #HomofobiaEDoenca disse “Aí meu Deus, perdi 90% da minha equipe de trabalho por causa da doença. Ninguém vai trabalhar, estão todos gays”. 

A decisão acata parcialmente o pedido de uma ação popular assinada por médicos defensores de terapias de “reversão sexual”. Desde 1990, OMS deixou de considerar homossexualidade doença.