Arquivo da tag: twitter

Principais vozes brasileiras da ciência no Twitter em 2021: colaboração, vacinação e popularização da ciência

Desde que a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou pandemia da Covid-19, em março de 2020, a divulgação científica ganhou um espaço proeminente no debate público, utilizando o Twitter como principal ferramenta de comunicação. Estudo inédito do Science Pulse, em parceria com o Instituto Brasileiro de Pesquisa e Análise de Dados (IBPAD), identificou quais foram as vozes de destaque da comunidade científica no último ano e como esta comunicação se desenrolou na rede. O relatório, divulgado nesta quinta (16), tem apoio de realização do Instituto Serrapilheira e apoio do International Center for Journalistas (ICFJ).

Anúncios

A rede de interações analisada foi desenvolvida a partir da base de dados do Science Pulse, ferramenta gratuita de monitoramento da comunidade científica nas redes sociais. Para o estudo, foram analisadas 450.906 publicações sobre a Covid-19 feitas no Twitter por 1.088 cientistas, especialistas e organizações científicas do Brasil e do mundo entre os meses de novembro de 2020 e novembro de 2021. A análise das interações e mapeamento dos principais influenciadores foi feita pelo IBPAD, utilizando as métricas de autoridade, articulação e popularidade.

A métrica de autoridade demonstra quais são os perfis centrais na difusão de informações na rede e, por consequência, os mais respeitados e/ou com maior prestígio. A de articulação avalia quais perfis são a ponte entre diferentes grupos, com a maior capacidade de difundir suas mensagens. Já a popularidade reflete o possível alcance de determinado perfil na rede. Ou seja, diz respeito à quantidade de seguidores que um perfil possui.

Anúncios

A conversa sobre a Covid-19 entre os pesquisadores brasileiros se desenhou em um ambiente de debate e construção do conhecimento colaborativo, com grande número de respostas, menções e retuítes entre os pesquisadores.

Entre os perfis monitorados pelo Science Pulse, os principais influenciadores da conversa sobre Covid-19 da comunidade científica brasileira no Twitter em 2021 foram (em ordem alfabética, o resultado final não tem ordem de importância): Átila Iamarino, Daniel Dourado, Denise Garrett, Isaac Schrarstzhaupt, Luiza Caires, Mellanie Fontes-Dutra, Natalia Pasternak, Otavio Ranzani, Pedro Curi Hallal e Vitor Mori. Dentre as instituições renomadas de ciência, se destacaram neste ano a Agência Fiocruz, a Fiocruz, o Instituto Butantan, o Observatório COVID 19 BR e a Universidade de São Paulo (USP).

Comunidade global de cientistas

A análise demonstrou a formação de dois agrupamentos entre os perfis monitorados: a comunidade global de cientistas e o de pesquisadores e instituições brasileiras. Esse achado reforça a dinâmica de dois conjuntos distintos de debates: o nacional e o internacional. Na comunidade global de cientistas, os perfis de destaque foram Ashish K. Jha, Carl T. Bergstrom, Dr. Angela Rasmussen, Dr. Tom Frieden, Eric Topol, John Burn-Murdoch, Michael Mina, Prof. Akiko Iwasaki, Tedros Adhanom Ghebreyesus e Trevor Bedford. Dentre as organizações internacionais de ciência, se destacaram: Nature, NIH, Science Magazine, The Lancet e World Health Organization.

Anúncios

Uma dinâmica distinta entre os tuítes publicados em português e inglês também foi verificada em relatório da equipe do Science Pulse divulgado em setembro. “Enquanto os primeiros foram mais fortes ao longo de 2021, os últimos tiveram mais destaque ao longo do final de 2020, reforçando a diferença entre esses dois grupos encontrada no estudo atual”, complementa Lucas Gelape, coordenador de dados do Science Pulse.

De acordo com Jackeline Buckstegge, sócia-diretora do IBPAD, a análise deste ano mostrou que existe uma diferença marcante entre os dois cenários, brasileiro e internacional, no que diz respeito aos perfis. “A presença de instituições nos rankings internacionais é mais forte quando comparada ao cenário brasileiro, isso se dá, em parte, devido ao grande prestígio de revistas e periódicos ingleses e norte-americanos que trataram do assunto. Em comparação, há 22% mais instituições no ranking internacional do que no ranking Brasil”, explica.

Anúncios

Vacinação

Dentre os diversos assuntos relacionados à pandemia, neste ano se destacou a conversa sobre a vacinação. Dentre os tuítes realizados pelo cluster de pesquisadores e instituições brasileiras, 53% deles mencionam algum aspecto desse processo, sendo que 97% das contas que tuitaram sobre Covid falaram sobre vacinas ao menos uma vez nesse período.

A análise identificou três assuntos principais relacionados à vacinação: pesquisa e desenvolvimento; campanhas; e esperança no futuro. O primeiro se concentra na divulgação e discussão sobre resultados de pesquisas e sobre políticas públicas a serem adotadas. Já o segundo envolve publicações que cobram ações do governo relacionadas à vacinação (como a compra e distribuição de vacinas), bem como a preocupação com desinformação. O último grupo é formado por mensagens de apoio ao desenvolvimento científico, à vacinação e à saúde pública brasileira.

“Neste momento de crise sanitária e da informação, cientistas e comunicadores cumpriram um papel fundamental: ajudaram a orientar e elevar a qualidade do debate ao produzir conteúdos cientificamente embasados”, avalia Natasha Felizi, diretora de Divulgação Científica do Instituto Serrapilheira.  Para Felizi, o desafio para o futuro é manter esse espaço de visibilidade da ciência aberto pela pandemia. “É fundamental que promover o debate de ciência como interesse público seja reconhecido e remunerado como um trabalho profissional, não só como ato de boa fé de cientistas diante de uma crise”, explica.

Fonte: Agência Bori

Leia mais notícias em ocuboblog.com e nos sigam nas redes sociais: Facebook, Twitter, Telegram, Instagram e Tiktok. Colabore com mais informações nos enviando através do telefone e whatsapp/telegram (98) 98506-2064 ou pelo e-mail ocuboblog@gmail.com

Ou mande qualquer quantia pelo PIX para ocuboblog@gmail.com

Prefeitura de São Luís amplia o tempo do Bilhete Único

Nesta segunda-feira (07), o atual Prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda, anunciou através de suas redes sociais, a ampliação do benefício do Bilhete Único no sistema de transporte urbano da capital.

“Começamos a semana com uma ótima notícia para quem utiliza o transporte coletivo de São Luís: aumentamos o tempo de uso do Bilhete Único! Os passageiros têm agora até 2h para fazer a mudança de coletivo no mesmo sentido da viagem, e 1h se optar por trafegar no sentido oposto”, comunicou o prefeito Edivaldo.

O Bilhete Único foi implantado em 2015, trazendo uma melhoria para os cidadãos que necessitam usar o transporte público de São Luís. É um serviço que permite ao usuário do sistema de transporte público embarcar em linhas de ônibus integradas fora dos terminais. Sem a necessidade de ir sempre para o terminal para trocar de ônibus e sem pagar novamente uma taxa pelo transporte.

Em São Luís, existem 550 mil usuários do serviço de transporte urbano da capital que utilizam o bilhete único. O Bilhete Único contribui ainda para equilibrar o fluxo de passageiros nos terminais de integração, além de economizar tempo e dinheiro do usuário, que com apenas uma tarifa ele pode embarcar em quantos coletivos precisar dentro do prazo de integração.

Jeisael Marx se manifesta contra fake news que atrela seu nome a Duarte Jr.

O jornalista Jeisael Marx se manifestou em suas redes sociais contra o fato de estarem atrelando seu nome e imagem ao candidato derrotado no segundo turno da eleição para prefeito de São Luís.

Jeisael, que foi o primeiro a tomar posição em relação ao segundo turno, declarando neutralidade, classificou como canalhice a tentativa de atrelar sua imagem como apoiador de algum candidato.

Ainda no início do segundo turno, Jeisael fez uma postagem afirmando que não iria apoiar nenhum candidato, por não acreditar que vale tudo para chegar à Prefeitura de São Luís. O jornalista manteve-se coerente com a postura adotada durante sua campanha, quando criticou as alianças e comportamentos dos candidatos que chegaram ao segundo turno.

Apesar de o partido ao qual pertence, a Rede, ter decidido pelo apoio a Duarte Jr. no segundo turno, Jeisael manteve seu posicionamento de neutralidade. Ele se manifestou no programa Ponto e Vírgula, da rádio Difusora FM, afirmando que respeitava a decisão da Rede, mas que divergia dela. 

O radialista e jornalista, Jeisael Marx, concorreu a Prefeitura de São Luís pela Rede Sustentabilidade e conquistou 14.144 votos em uma campanha classificada por ele como limpa, digna e honesta.

Flávio Dino comenta sobre o ataque de Ciro Gomes

O Governador do Maranhão, Flávio Dino, comentou através de sua conta no Twitter, o ataque de Ciro Gomes. Nesta segunda-feira (30), o ex-governador do Ceará, Ciro Gomes, criticou o Flávio Dino dizendo que “Flavio Dino resolveu não apoiar ninguém. Foi votar com camiseta ‘Lula Livre’. Eles perderam um pouco a noção da realidade”.

No tweet de Flávio Dino, disse que respeita Ciro Gomes e por essa razão não lhe daria uma resposta pela provocação. O Governador aproveitou para dizer que sua manifestação em apoio ao ex-presidente Lula é sua contribuição para o campo nacional-popular caminhe junto e que não fará conflitos desnecessários.

Ciro Gomes fez a provocação durante uma entrevista dada ao Rádio Bandeirantes nesta segunda-feira (30). O ex-governador do Ceará ainda comentou que pretende concorrer novamente a Presidência. Que está preparando um projeto para as eleições de 2022, focado em formar alianças.

Digite seu e-mail para assinar as notificações deste site

Junte-se a 1.388 outros assinantes

Facebook é a maior plataforma de notícias falsas, aponta pesquisa

Foram entrevistadas mais de 80 mil pessoas em 40 países

O Facebook e o WhatsApp são as principais plataformas de difusão de conteúdos falsos, segundo o Relatório de Notícias Digitais 2020 do Instituto Reuters, considerado o mais importante estudo mundial sobre jornalismo e novas tecnologias. Entre os ouvidos, 29% manifestaram preocupação com a difusão de desinformação nas redes sociais Facebook, 6% no Youtube e 5% no Twitter. Nos apps de mensagem, o WhatsApp foi o mais citado.

O Facebook foi a rede social mais apontada nas Filipinas (47%), Estados Unidos (35%) e Quênia (29%), entre outros países. No Brasil, o Whatsapp foi mencionado como principal local por onde mensagens falsas são disparadas (35%), enquanto o Facebook é o segundo canal mais citado (24%). O Youtube é objeto de maior preocupação na Coreia do Sul, enquanto o Twitter ocupou essa posição no Japão.

Mais da metade (56%) dos participantes do levantamento se mostrou preocupada como identificar o que é real e o que é falso no consumo de informações. O Brasil foi o país onde esse receio apareceu de forma mais presente (84%), seguido do Quênia (76%) e da África do Sul (72%).

Entre as fontes de desinformação, a mais indicada foram os políticos (40%), especialmente nos Estados Unidos, Brasil e Filipinas. Em seguida vêm ativistas (14%), jornalistas (13%), cidadãos (13%) e governos estrangeiros (10%).

Confiança

Entre os ouvidos, 38% disseram confiar nas notícias, índice quatro pontos percentuais menor do que no ano passado. Essa atitude varia entre países, sendo mais comum na Finlândia e Portugal e menos recorrente em Taiwan, na França e na Coreia do Sul. O Brasil teve desempenho acima da média (51%).

Quando perguntados sobre os conteúdos jornalísticos que consomem, o índice subiu para 46%, ainda abaixo da metade e três pontos percentuais menor do que no ano anterior. Essa avaliação sobre a confiabilidade é menor em mecanismos de busca (32%) e em redes sociais (22%).

Mas 60% relataram preferir notícias mais objetivas (sem uma visão política clara) e 28% preferiram conteúdos com visões políticas claras e que reforçam suas crenças. O Brasil foi o com maior percentual de pessoas que desejam ver notícias de acordo com suas concepções (43%).

Fonte de informação

Os serviços online foram apontados como principal fonte de informação em diversos países, como Argentina (90%), Coreia do Sul (85%), Espanha (83%), Reino Unido (79%), Estados Unidos (73%), Alemanha (69%). Em seguida vêm a TV e o rádio. A mídia impressa perdeu espaço, servindo como meio para se informar em índices que variam de 30% a 16% a depender do país.

O estudo confirmou uma variação desse comportamento conforme a idade. Jovens preferem canais jornalísticos online, enquanto a TV e a mídia impressa são a principal alternativas para a faixa acima dos 55 anos de idade.

Os brasileiros foram os que mais recorrem ao Instagram para se informarem (30%), e também estão entre os que mais utilizam o Twitter para esta finalidade (17%). Mas o Facebook e o Whatsapp ainda são as plataformas dominantes, servindo de alternativa informativa para, respectivamente, 54% e 48% dos entrevistados.

Pandemia

Embora realizado em sua maioria antes da pandemia, o estudo avaliou o consumo de notícias durante esse período. Entre os ouvidos em seis países, 60% consideraram que a mídia ajudou a entender a crise e 65% concordaram que os noticiários explicaram o que os cidadãos poderiam fazer. Dos entrevistados nestas nações, 32% avaliaram que a mídia exagerou no impacto da pandemia.

Para o pesquisador do Instituto Nic Newman, a crise provocada pela pandemia do coronavírus reforçou a necessidade da importância de um jornalismo confiável e correto que possa informar a população. Ao mesmo tempo, ele lembra como a sociedade está suscetível a teorias da conspiração e à desinformação. 

“Os jornalistas não controlam o acesso à informação, enquanto o uso de redes sociais e plataformas dão às pessoas acesso a um rol grande de fontes e fatos alternativos, parte dos quais é enganosa ou falsa”, disse.

O estudo

A equipe responsável pelo relatório entrevistou mais de 80 mil pessoas em 40 países de todos os continentes. A maior parte das entrevistas foi coletada antes da pandemia, mas em alguns países, as respostas foram obtidas em abril, já trazendo algum impacto desse novo cenário.

Facebook

Em nota, o Facebook afirmou que está comprometido com o combate à desinformação. “Em abril colocamos marcações de notícias falsas em cerca de 50 milhões de postagens em todo o mundo, removemos milhares de conteúdos que poderiam levar a danos no mundo real e direcionamos mais de 2 bilhões de pessoas a recursos de autoridades de saúde por meio da Central de Informações sobre a Covid-19.  Também estamos ajudando jornalistas e organizações de notícias a se adaptarem às mudanças no mundo digital, assim como comprometemos mais de US$ 400 milhões em todo o mundo para apoiar esse trabalho”, acrescentou a empresa.

Matéria atualizada às 21h01 para acréscimo da posição do Facebook

Edição: Fernando Fraga

Fonte: Agência Brasil

Governador Flávio Dino anuncia pagamento da primeira parcela do 13º salário

O Governador do Maranhão, Flávio Dino, anunciou o pagamento da primeira parcela do 13º salário de 2020 aos servidores estaduais. A parcela será paga no próximo dia 20 de junho. O anuncio foi feito pela conta oficial do Twitter do Governador Flávio Dino.

O adiantamento do 13º salário é correspondente à metade do salário do empregado, sendo pago proporcionalmente ao tempo de serviço do empregado prestado ao empregador, nesse caso, ao Governo Estadual. O benefício é conforme a Lei 4.090 e foi implantado no Brasil em 1962.

Perfil do Twitter expõe pessoas brancas que fraudaram as cotas de Universidades da Maranhão

Na descrição do perfil da página incentiva a denúncia por meio de mensagens que podem ser enviadas de maneira privada.

Em um perfil de Twitter chamado “Fraudadores de Cotas – Maranhão” (@fraudadoresma) há a exposição de pessoas brancas da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) que fraudaram o sistema de cota. Até o fim dessa matéria, foram denunciadas 20 pessoas que claramente não fazem parte da cota escolhida por não serem pessoas negras.

As denuncias são feitas pelos próprios seguidores que se mobilizaram na rede social para identificar e combater fraudes de cotas. “Perfil criado para expor fraudadores de cotas das universidades do Maranhão. Quer expor um fraudador? Envia na nossa DM”, informa a descrição do perfil @fraudadoresma.

Esse tipo de perfil faz parte de um movimento do Twitter que expõe no Brasil todo, pessoas que usam do sistema de cota para se beneficiar sem precisar do direito. São pessoas brancas que e que financeiramente podem arcar com os custos em uma universidade particular.

O sistema de cota foi criado graças a lei 12.711 de 2012, na qual define que as instituições de ensino superior que estão vinculadas ao Ministério da Educação e as instituições federais de ensino técnico de nível médio, devem reservar metade das vagas para as cotas. Esse direito foi conquistado através do movimento negro, com a intenção de fortalecer a participação e integrar a sociedade também composta por negros dentro da universidade.

Até o fim dessa matéria, a UFMA e a UEMA não emitiram nenhuma nota sobre o assunto.

Fairy Tail | Última temporada ganha previsão de estreia para outono

O mangaká de Fairy Tail, Hiro Mashima, anunciou através do seu Twitter, nesta quinta-feira (5), que a temporada final do anime deve chegar ainda no outono desse ano, entre setembro e dezembro. https://twitter.com/hiro_mashima/status/981806861312655360?s=20

“A temporada final da série animada para TV de Fairy Tail vai ao ar neste outono de 2018”, disse Giro Mashima no Twitter.

Hiro Mashima não deu detalhes sobre a temporada até o momento, mas deve adaptar todo o restante do mangá que chegou ao fim em julho de 2017 no Japão. Fairy Tail

Fairy Tail é uma série de mangá escrita e ilustrada por Hiro Mashima. Os capítulos do mangá são serializado na revista Weekly Shōnen Magazine desde 2006, com os capítulos individuais compilados e publicados em volumes tankōbon pela editora Kodansha. A história segue as aventuras de Natsu Dragneel que está a procura do dragão Igneel, um mago adolescente que é membro da popular guilda de feiticeiros Fairy Tail.

Leia mais Notícias em ocuboblog.com e nos sigam nas redes sociais: Facebook, Twitter e Instagram. Colabore com mais informações nos enviando através do telefone e whatsapp (98) 98506-2064

Radialista é demitido após comentários sexuais sobre campeã olímpica

O radialista Patrick Connor foi demitido após fazer comentários sexuais sobre a campeã olímpica Chloe Kim. Patrick Connor trabalhava na Rádio KNBR, nos Estados Unidos.

Os comentários ocorreram nesta terça-feira, Connor de referiu a Kim com a expressão “hot piece of ass”, que em uma tradição livre significa “uma bunda gostosa”, entre outros comentários como “Seu aniversário de 18 anos é no dia 23 de Abril, e a contagem regressiva está rolando, bebê, porque meu Wooderson está aparecendo. Isso é o que gosto sobre as meninas do ensino médio”. Wooderson é o personagem do filme “Jovem, Loucos e Rebeldes” que se envolve com meninas mais novas.

Chloe Kim é filha de sul-coreanos, mas nasceu nos EUA. Kim ganhou ouro na prova de snowboard halfpipe feminina.

Patrick Connor publicou em seu twitter pedindo desculpas por ser “um total idiota” na tentativa de fazer as pessoas rirem.

https://mobile.twitter.com/pcon34/status/963753875491532800?ref_src=twsrc%5Etfw&ref_url=http%3A%2F%2Fesportefera.com.br%2Fnoticias%2Fgeral%2Cradialista-e-demitido-por-comentarios-sexuais-sobre-campea-olimpica-de-17-anos%2C70002190641

Pentágono permite alistamento de transgêneros no Exército Americano.

Ao contrariar o presidente Donald Trump, o Pentágono afirma que a partir de 1° de Janeiro de 2018 está permitido o alistamento de transgêneros nas Forças Armadas americanas.

Trump havía dito em seu Twitter, em julho deste ano, que pessoas transgêneras não poderiam servir nenhuma Força, e também que a presença das mesmas sobrecarregaria o exército, além de provocar distrações.

O major David Eastburn, porta voz do Pentágono, falou com a Associated Press, nesta segunda feira (11), sobre alguns requisitos e disse que o próprio Pentágono pode desqualificar potenciais recrutas que tenham passado por cirugías reconstructivas ou transições de gênero.

Eastburn também diz que os indivíduos serão permitidos adentrar nas Forças Armadas se um médico certificar que eles estão clinicamente estáveis no sexos preferido por 18 meses, além de que os mesmos devem estar livres de sofrimento ou comprometimento significativo em áreas sociais, ocupacionais, etc. Os que recebem terapia hormonal também devem ser estáveis em seus medicamentos por 18 meses.

Leia mais Notícias em ocuboblog.com e nos sigam nas redes sociais: Facebook, Twitter e Instagram. Colabore com mais informações nos enviando através do telefone e whatsapp (98) 98506-2064